Os lançamentos contabilísticos são a pedra angular para registar e refletir a situação financeira de uma empresa.

Lançamentos contabilísticos: o que são e como fazê-los?

Os lançamentos contabilísticos são a pedra angular para registar e refletir a situação financeira de uma empresa. Não se trata apenas de uma simples entrada num livro de contabilidade, mas de um reflexo das operações quotidianas que mantêm uma empresa em funcionamento. Mas o que são exatamente os lançamentos contabilísticos e como são feitos corretamente? Saiba mais no seguinte artigo.

1. O que são os lançamentos contabilísticos?

Os lançamentos contabilísticos são registos que refletem as operações económicas realizadas por uma empresa num determinado período. Estes lançamentos são essenciais para a elaboração das demonstrações financeiras, que refletem a situação económica e financeira da organização. Cada lançamento contabilístico é registado no diário e posteriormente transferido para o razão geral.

Um lançamento contabilístico é composto por:

  • Data: Indica o dia em que a transação ocorreu.
  • Conta a receber e conta a pagar: Na contabilidade, para cada ação que modifica o património da empresa, há um valor devido e um valor creditado. É o chamado princípio da dupla entrada.
  • Descrição ou conceito: Uma breve descrição da transação efetuada, contextualizando o motivo do lançamento.
  • Montante: Os valores correspondentes à operação são inscritos nas colunas de débito e de crédito, consoante o caso.

1.1 Princípio da dupla entrada

Uma das bases fundamentais da contabilidade é o princípio da dupla entrada. Isto significa que cada transação afetará pelo menos duas contas. Se uma conta aumenta, outra deve diminuir num montante equivalente, garantindo assim que a equação contabilística (Ativo = Passivo + Capital Próprio) está sempre equilibrada.

Por exemplo, se uma empresa comprar uma máquina por 1.000 euros e pagar em dinheiro, o registo contabilístico refletirá um aumento na conta do ativo fixo (a máquina) e uma diminuição na conta de caixa.

2. Definição das características de um lançamento contabilístico

Um lançamento contabilístico é uma entrada feita nos registos contabilísticos para refletir uma transação económica que afeta os ativos e passivos de uma entidade. As características que definem um lançamento contabilístico são as seguintes:

  • Dupla entrada: Um dos princípios fundamentais da contabilidade é o sistema de dupla entrada. Isto significa que cada lançamento contabilístico deve ter pelo menos duas entradas: um débito e um crédito. Estes lançamentos refletem o princípio de que cada variação no ativo deve ser compensada por uma variação correspondente no passivo ou no capital próprio (e vice-versa).
  • Equilíbrio: O total dos montantes registados no lado do débito deve ser igual ao total dos montantes registados no lado do crédito. Por outras palavras, um lançamento contabilístico deve ser sempre equilibrado.
  • Data: Cada lançamento contabilístico deve indicar a data em que é efetuado ou em que ocorre a operação económica registada.
  • Descrição ou conceito: É importante que cada lançamento contabilístico seja acompanhado de uma breve descrição ou conceito que explique a natureza da operação que está a ser registada.
  • Contas afetadas: No lançamento contabilístico, devem ser especificadas as contas que são debitadas e creditadas. Estas contas devem fazer parte do plano de contas da entidade.
  • Valores monetários: Cada entrada no lançamento contabilístico deve conter um valor em termos monetários que indique o valor da transação.
  • Ordenação: Os lançamentos contabilísticos devem ser registados de forma ordenada, normalmente por ordem cronológica, de acordo com a data em que as transações ocorrem.
  • Continuidade: Uma vez que um lançamento contabilístico tenha sido registado nos livros, não deve ser apagado ou removido. Se for detetado um erro, deve ser feito um lançamento de correção, mas o lançamento original permanece como prova da transação registada.
  • Referência documental: É aconselhável, embora nem sempre obrigatório, que cada lançamento contabilístico tenha uma referência ao documento de origem que justifica a operação (fatura, recibo, contrato, etc.). Esta referência facilita a rastreabilidade e a verificação das transações.
  • Clareza e legibilidade: Os lançamentos contabilísticos devem ser claros e legíveis, evitando ambiguidades e permitindo a qualquer pessoa com conhecimentos de contabilidade compreender a natureza e a finalidade do registo.

3. Como efetuar os lançamentos contabilísticos?

Os lançamentos contabilísticos são um processo fundamental da contabilidade que exige exatidão e compreensão das transações financeiras e dos acontecimentos que afetam uma entidade. Seguem-se os passos gerais para efetuar os lançamentos contabilísticos:

  • Identificar a transação: Antes de registar qualquer lançamento contabilístico, é essencial compreender a natureza da transação. Esta pode ser uma compra, uma venda, um empréstimo, um pagamento, etc. É útil rever a documentação associada, como faturas, recibos, contratos, entre outros.
  • Determinar as contas afetadas: Uma vez compreendida a transação, é necessário identificar as contas que são afetadas. Por exemplo, se a empresa efetuar uma compra de bens a crédito, as contas afetadas poderão ser “Compras” e “Fornecedores”.
  • Aplicar o sistema de dupla entrada: segundo este sistema, cada transação afetará pelo menos duas contas. Uma conta será debitada (débito) e uma conta será creditada (crédito). É crucial determinar corretamente qual a conta a debitar e qual a creditar.
  • Estabelecer o valor da transação: Determine o valor exato da transação a registar nas contas afetadas.
  • Fazer o lançamento no diário: No diário, escreva a data da transação. De seguida, liste as contas a debitar e a creditar, juntamente com os montantes correspondentes. Também é aconselhável incluir uma breve descrição ou conceito que explique a natureza da transação.
  • Verificar o saldo do registo: Certifique-se de que os totais debitados e creditados são iguais. Se não forem, existe um erro que deve ser corrigido antes de prosseguir.
  • Referência documental: Anotar a referência do documento de origem que justifica o lançamento (número da fatura, contrato, etc.) para futuras verificações ou auditorias.
  • Registo em livros auxiliares (se necessário): Dependendo da estrutura contabilística da empresa, poderá ser necessário efetuar registos detalhados em livros auxiliares, tais como o livro de vendas, compras, caixa, bancos, entre outros.
  • Transferência para o razão geral: periodicamente, os lançamentos contabilísticos são transferidos ou “lançados” no razão geral, onde são organizados por conta e os saldos são atualizados.
  • Revisão e verificação: É uma boa prática rever e verificar regularmente os lançamentos contabilísticos para detetar e corrigir erros.
  • Fazer ajustamentos e retificações: Se, em qualquer momento, forem detetados erros ou forem necessários ajustamentos (por exemplo, no final do período contabilístico), é necessário fazer lançamentos de ajustamento ou de retificação.

Ao fazer lançamentos contabilísticos, é crucial ter um bom conhecimento dos princípios contabilísticos e estar familiarizado com o plano de contas da entidade. É sempre aconselhável que estes lançamentos sejam efetuados ou supervisionados por pessoas com conhecimentos de contabilidade, a fim de garantir a exatidão e a fiabilidade da contabilidade da entidade.

4. Importância dos lançamentos contabilísticos

A importância dos lançamentos contabilísticos reside no seu papel de espinha dorsal da contabilidade de uma empresa. Estes registos são cruciais para manter a exaustividade e a exatidão das informações financeiras. De seguida, apresentam-se alguns dos aspetos que evidenciam a sua relevância:

  • Reflexo da Realidade Financeira: Os lançamentos contabilísticos permitem às empresas registar e acompanhar todas as suas transações económicas. Isto significa que, através da análise destes registos, é possível obter uma imagem clara e atualizada da situação financeira da empresa.
  • Base das demonstrações financeiras: As demonstrações financeiras, tais como o Balanço, a Demonstração de Resultados e a Demonstração dos Fluxos de Caixa, são elaboradas a partir da informação contida nos lançamentos contabilísticos. Estes relatórios são essenciais para as decisões de gestão, investimento e financiamento.
  • Conformidade legal e fiscal: Em muitos países, as empresas são obrigadas por lei a manter registos contabilísticos precisos e atualizados. Estes registos são essenciais para determinar as obrigações fiscais, tais como o imposto sobre o rendimento, o IVA, entre outros. Uma contabilidade correta ajuda a evitar penalizações e problemas legais.
  • Princípio da dupla entrada: Os lançamentos contabilísticos seguem o princípio da dupla entrada, garantindo que a equação contabilística está sempre equilibrada. Isto garante que cada transação é devidamente refletida nas contas correspondentes, mantendo a integridade do sistema contabilístico.
  • Rastreabilidade e auditoria: Os lançamentos contabilísticos fornecem um registo histórico detalhado de todas as transações económicas da empresa. Isto é vital quando se efetuam auditorias internas ou externas, uma vez que facilita a revisão e verificação da informação financeira.
  • Controlo interno: ajudam as empresas a detetar e a prevenir erros, fraudes ou apropriações indevidas. Um sistema de contabilidade bem gerido funciona como um mecanismo de controlo, permitindo identificar irregularidades ou desvios.
  • Decisões informadas: Para que a gestão possa tomar decisões estratégicas informadas, necessita de informação financeira exata e atualizada. Os lançamentos contabilísticos fornecem esta informação, permitindo análises financeiras que orientam a tomada de decisões.
  Despesas dedutíveis e como aproveitá-las na empresa

Em suma, os lançamentos contabilísticos não são meros registos num livro de contabilidade ou num software; são a representação da vida financeira de uma empresa. Sem eles, seria praticamente impossível gerir, analisar ou compreender a saúde financeira e económica de qualquer organização.

5. Quais são os tipos de lançamentos contabilísticos?

Os lançamentos contabilísticos podem ser classificados de diferentes formas, de acordo com a sua natureza e função. É fundamental que qualquer pessoa responsável pela contabilidade de uma empresa compreenda estes diferentes tipos de lançamentos contabilísticos e quando os deve utilizar. Cada lançamento contabilístico tem a sua finalidade e, se for utilizado corretamente, garantirá que as demonstrações financeiras da empresa refletem com precisão a sua posição económica e financeira.

Os tipos mais comuns de lançamentos de diário são descritos abaixo:

5.1 Lançamento de Abertura

O lançamento de abertura é o primeiro lançamento contabilístico efetuado no início de um novo exercício financeiro. O seu objetivo é refletir a posição financeira da empresa no início desse período, com base no balanço do ano anterior.

Este lançamento integra todos os saldos das contas do balanço (ativo, passivo e capital próprio) no diário do novo exercício, assegurando assim a continuidade da contabilidade da empresa de um ano para o outro.

5.1.1 Características do lançamento contabilístico de abertura

  • Representa o início: Marca o início do novo período contabilístico, estabelecendo a base sobre a qual serão registadas todas as transações do novo período contabilístico.
  • Incorpora os saldos anteriores: Baseia-se nos saldos finais das contas do ano anterior, que se tornam os saldos iniciais do novo ano.
  • Não tem impacto no resultado: Ao contrário de outros lançamentos contabilísticos, o lançamento contabilístico de abertura não tem impacto no resultado do exercício (lucros ou perdas), porque não envolve contas de receitas ou despesas.

5.1.2 Estrutura básica do lançamento de abertura

Ao fazer o lançamento de abertura, as contas do ativo são debitadas (débito) e as contas do passivo e do capital próprio são creditadas (crédito). Em termos gerais, a estrutura pode ser a seguinte:

  • Débito: Todas as contas do ativo são debitadas com os valores que apresentam no balanço do ano anterior.
  • Crédito: Todas as contas do passivo e do capital próprio são creditadas com os valores que apresentam no balanço do ano anterior.

É essencial que o lançamento inicial seja corretamente preparado, pois estabelece a base inicial da contabilidade do novo ano e assegura a consistência e continuidade da informação financeira da empresa.

5.2 Lançamentos contabilísticos simples

Os lançamentos contabilísticos simples são registos contabilísticos que refletem uma única transação económica e envolvem apenas duas contas: uma conta de débito e uma conta de crédito. Por outras palavras, num único lançamento contabilístico, é feito apenas um lançamento no lado do débito e apenas um no lado do crédito.

Este tipo de lançamento contabilístico baseia-se no princípio fundamental da contabilidade denominado “princípio das partidas dobradas”, segundo o qual, para cada movimento ou variação do ativo, do passivo ou do capital próprio de uma empresa, haverá sempre pelo menos duas contas afetadas para manter a equação contabilística equilibrada.

5.2.1 Exemplos de lançamentos contabilísticos simples

  • Compra de material de escritório em dinheiro: Suponhamos que uma empresa compra material de escritório no valor de 100 euros e paga em dinheiro. O lançamento contabilístico refletirá uma diminuição na conta de caixa e um aumento na conta de despesas de material de escritório.
  • Débito: Despesas de material de escritório 100 euros.
  • Crédito: Caixa 100 euros.
  • Reembolso de um empréstimo bancário: Se uma empresa pagar 500 euros para reembolsar um empréstimo bancário, será registada uma diminuição na conta de caixa e uma diminuição na dívida do empréstimo.
  • Débito: Empréstimo bancário 500 euros.
  • Crédito: Caixa 500 euros.

Nestes exemplos, é possível ver como cada transação afeta apenas duas contas. É essencial que os contabilistas compreendam e identifiquem quando devem efetuar um simples lançamento contabilístico, uma vez que se trata de uma ferramenta básica e frequente no processo contabilístico diário.

5.3 Lançamentos compostos

Os lançamentos contabilísticos compostos são registos contabilísticos que refletem uma transação ou um acontecimento económico que envolve mais de duas contas. Ou seja, num lançamento contabilístico composto, podem existir vários lançamentos a débito e a crédito. Apesar da maior complexidade em relação aos lançamentos contabilísticos simples, os lançamentos contabilísticos compostos obedecem também ao princípio das partidas dobradas, garantindo que o total do lado do débito é sempre igual ao total do lado do crédito.

Os lançamentos diários compostos são especialmente úteis para registar transações que afetam várias contas em simultâneo e são comuns em transações como a compra de ativos financiada em parte a dinheiro e em parte a crédito, ou a distribuição de dividendos em que parte é paga em dinheiro e parte em ações, entre outros exemplos.

  Como fazer o encerramento contábil da sua empresa em 10 passos

5.3.1 Exemplos de registos compostos

  • Compra de uma máquina financiada: Suponhamos que uma empresa compra uma máquina no valor de 10.000 euros, pagando 4.000 euros em dinheiro e comprometendo-se a pagar o saldo num ano. O lançamento contabilístico refletiria um aumento dos ativos fixos (a máquina), uma diminuição da caixa e um aumento das contas a pagar.
  • Débito: Máquina 10.000 euros.
  • Crédito: Caixa 4.000 euros.
  • Crédito: Contas a pagar Contas a pagar 6.000 euros.
  • Venda de produtos com desconto e IVA: Uma empresa vende produtos por um valor de 1.200 euros, concede um desconto de 200 euros e aplica um IVA de 10%. O lançamento no diário refletirá a receita da venda, o desconto concedido e o IVA à saída.
  • Débito: Clientes 1.100 euros (1.000 euros de valor líquido + 100 euros de IVA).
  • Crédito: Vendas 1.000 euros.
  • Crédito: Vendas Descontos de vendas por pronto pagamento 200 euros.
  • Crédito: IVA liquidado 100 euros.

Estes exemplos ilustram como, num lançamento contabilístico composto, uma única transação pode afetar várias contas ao mesmo tempo. É fundamental que os contabilistas compreendam e tratem corretamente estes lançamentos contabilísticos, uma vez que fornecem uma representação mais detalhada e precisa das operações económicas da empresa.

5.4 Lançamentos de regularização

Os lançamentos de regularização são lançamentos contabilísticos efetuados no final do período contabilístico com o objetivo de adequar as contas contabilísticas à realidade económica da empresa antes da apresentação das demonstrações financeiras. Estes lançamentos asseguram a conformidade da contabilidade com o princípio da especialização dos exercícios, segundo o qual os proveitos e os custos devem ser reconhecidos no período em que são efetivamente gerados, independentemente do momento em que são recebidos ou pagos.

Os lançamentos de regularização são essenciais para refletir uma imagem correta e atualizada da situação financeira da empresa. Estes podem surgir devido a diversas situações, tais como gastos ou rendimentos que tenham sido acumulados, mas não registados, amortizações, provisões, entre outros.

5.4.1 Exemplos de lançamentos de ajuste

  • Despesas acrescidas: Suponhamos que a empresa não registou o salário de dezembro dos seus empregados para ser pago em janeiro do ano seguinte. É necessário um lançamento de ajustamento para reconhecer esta despesa em dezembro, mesmo que o desembolso seja feito mais tarde.
  • Débito: Despesa de ordenados e salários (conta de resultados).
  • Crédito: Ordenados e salários a pagar (conta do passivo).
  • Proveitos acrescidos: Se uma empresa prestou serviços em dezembro, mas só emitirá a fatura em janeiro, deve registar um proveito acrescido.
  • Débito: Clientes (conta de ativo).
  • Crédito: Rendimentos de serviços (Conta de Resultados)
  • Depreciação: Para reconhecer a perda de valor de um ativo fixo ao longo do tempo.
  • Débito: Despesa de depreciação (Conta de ganhos e perdas).
  • Crédito: Acumulação de amortizações (Conta do ativo que diminui o valor do ativo original).
  • Provisões: Se a empresa estima que terá uma dívida futura, como por exemplo uma garantia de produto.
  • Débito: Despesa com garantia (Conta de resultado).
  • Creditar: Provisão para garantias (conta do Passivo).
  • Ajustes de inventário: Se, após um inventário físico, forem detetadas diferenças em relação ao registo contabilístico.
  • Débito: Perda no ajustamento de existências (Conta de Resultados) e/ou Existências (Conta do Ativo).
  • Crédito: Ganho no ajustamento de existências (conta de ganhos e perdas) e/ou existências (conta de ativos)

Estes lançamentos asseguram que as demonstrações financeiras estão alinhadas com a realidade económica e financeira da empresa no final do ano, permitindo que a gestão, os investidores e outras partes interessadas tomem decisões com base em informações precisas e relevantes.

5.5 Lançamentos de fecho

Os lançamentos de encerramento são lançamentos contabilísticos efetuados no final do exercício financeiro com o objetivo de encerrar contas temporárias (principalmente contas de receitas, despesas e outros rendimentos) e transferir o seu saldo líquido para contas permanentes, como o capital próprio. Estes lançamentos preparam os livros para o novo período contabilístico, deixando um saldo zero nas contas que refletem o desempenho económico do período.

O principal objetivo dos lançamentos de encerramento é determinar e registar o resultado do período, quer se trate de um lucro ou de uma perda, e atualizar o saldo da conta de resultados transitados ou de capital próprio, que faz parte do capital próprio no balanço.

5.5.1 Processo de lançamentos de encerramento

  • Encerramento das contas de resultados: Todos os saldos das contas de resultados são transferidos para uma conta temporária designada por conta de ganhos e perdas.
  • Débito: Contas de rendimentos.
  • Crédito: Conta de ganhos e perdas (ou similar).
  • Encerrar contas de despesas: Todos os saldos das contas de despesas são transferidos para a conta de ganhos e perdas.
  • Débito: Conta de lucros e perdas (ou similar).
  • Crédito: Contas de despesas.
  • Determinar o resultado do exercício: Uma vez encerradas as contas de receitas e despesas, a conta de ganhos e perdas apresentará o resultado do período. Se houver um saldo devedor, indica uma perda. Se houver um saldo credor, indica um ganho.
  • Transferir o resultado para a conta de resultados transitados ou para o capital próprio: Dependendo do saldo da conta de resultados, será registado um ganho ou uma perda na conta de resultados transitados.

– Se for um ganho:

  • Débito: Conta de lucros e perdas.
  • Crédito: Resultados transitados ou capital próprio.

– Se for uma perda:

  • Débito: Resultados transitados ou Capital.
  • Crédito: Conta de lucros e perdas.
  • Encerrar contas de levantamentos ou de dividendos: Se o proprietário ou os acionistas tiverem levantado fundos ou recebido dividendos durante o ano, estas contas serão igualmente encerradas e o seu saldo transferido para a conta de capital ou de resultados transitados.
  • Débito: Conta de capital ou de lucros retidos.
  • Crédito: Retiradas ou Dividendos.

Depois de efetuar estes lançamentos, as contas temporárias ficam com um saldo zero, prontas para o período contabilístico seguinte. As contas do balanço, pelo contrário, conservam os seus saldos para servirem de base ao lançamento de abertura do exercício contabilístico seguinte.

5.6 Lançamentos retificativos

Os lançamentos retificativos são lançamentos contabilísticos efetuados para corrigir erros ou imprecisões que tenham ocorrido na contabilidade durante o registo de operações anteriores. Estes erros podem surgir por diversas razões, tais como rendimentos ou gastos registados por um valor incorreto, duplicação de registos, omissões, entre outros.

Estes lançamentos são essenciais para garantir a plenitude e exatidão das demonstrações financeiras, uma vez que ajustam os valores e apresentam uma imagem verdadeira e apropriada da posição económica e financeira da empresa.

  Custos fixos: o que são e como afetam as empresas

5.6.1 Características dos lançamentos retificativos

  • Não alteram o resultado original: Ao contrário de outros lançamentos contabilísticos, o objetivo de um lançamento retificativo não é refletir uma nova transação, mas corrigir um lançamento anterior. Por conseguinte, uma vez efetuado o ajustamento, a situação deve refletir o que teria sido se o erro não tivesse ocorrido em primeiro lugar.
  • Devem ser justificados: É essencial que estes lançamentos sejam acompanhados de uma explicação ou justificação pormenorizada do erro e da correção efetuada, a fim de manter a transparência e a rastreabilidade da contabilidade.

5.6.2 Exemplos de lançamentos retificativos

  • Erro no montante: Suponhamos que uma empresa regista a compra de material por 500 euros quando, na realidade, o montante correto é 550 euros. O lançamento retificativo deve registar a diferença de 50 euros.
  • Débito: Despesas de material 50 euros.
  • Crédito: Fornecedores ou bancos 50 euros.
  • Duplicação de entradas: Se uma empresa registou uma receita de vendas de 1.000 euros duas vezes, a entrada de alteração deve reverter uma dessas entradas.
  • Débito: Vendas 1.000 euros.
  • Crédito: Clientes 1.000 euros.
  • Omissão de um registo: Se a empresa se esqueceu de registar uma renda mensal de 300 euros, o lançamento retificativo seria:
  • Débito: Despesa de renda 300 euros.
  • Crédito: Fornecedores ou Bancos 300 euros.

É crucial que os contabilistas detetem e corrijam rapidamente quaisquer erros através de lançamentos de correção, uma vez que as demonstrações financeiras baseadas em informações incorretas podem levar a decisões erradas por parte da administração, dos investidores e de outras partes interessadas. Além disso, uma contabilidade rigorosa é um requisito legal e ético para qualquer empresa.

5.7 Registos de regularização

  • Regularização de receitas e despesas: Os saldos das contas de receitas e despesas são transferidos para uma conta provisória, normalmente designada por “Conta de Resultados”. O objetivo é determinar o lucro ou a perda do período.
  • Débito: Contas de rendimentos.
  • Crédito: Conta de ganhos e perdas (para levar o rendimento a zero).
  • Débito: Conta de ganhos e perdas.
  • Crédito: Contas de Despesas (para zerar as despesas).
  • Regularização de Compras e Vendas: Se a contabilidade for efetuada tendo em conta impostos como o IVA, pode ser necessário efetuar lançamentos de regularização para separar o líquido da compra ou venda do imposto correspondente.
  • Provisões e Ajustamentos: São efetuados ajustamentos para ter em conta itens como amortizações, provisões para dívidas incobráveis, ajustamentos de inventário, entre outros.

Uma vez efetuados os lançamentos de regularização e apurado o resultado do exercício (lucro ou prejuízo), são efetuados os lançamentos de fecho e elaboradas as demonstrações financeiras finais.

É essencial efetuar estes lançamentos corretamente para que as demonstrações financeiras deem uma imagem verdadeira e apropriada da situação económica e financeira da empresa. Além disso, a regularização é um passo essencial para cumprir os regulamentos contabilísticos e fiscais em muitos países.

5.8 Registos extraordinários

Os lançamentos extraordinários são registos contabilísticos que se referem a transações pouco habituais ou pouco frequentes na atividade normal da empresa e que, pela sua natureza, não podem ser classificadas como transações normais. Estas operações são de natureza excecional e não ocorrem regularmente no ciclo económico da empresa.

Os lançamentos extraordinários referem-se, em geral, a acontecimentos ou transações que são invulgares e inesperados. Por exemplo, a venda de uma divisão da empresa, uma reclamação que resulta em danos significativos à propriedade da empresa ou o recebimento de uma indemnização.

5.8.1 Exemplos de registos extraordinários

  • Ganho ou perda por sinistro: Se uma empresa sofre danos nos seus ativos em resultado de uma catástrofe natural e recebe uma indemnização de um seguro, o registo desta transação será uma entrada extraordinária.
  • Débito: Bancos (pelo valor da indemnização).
  • Crédito: Receitas Extraordinárias (pelo valor da indemnização recebida).
  • Venda de um ativo não corrente: Se uma empresa vender um terreno que não se destinava a ser vendido na sua atividade normal.
  • Débito: Bancos (pelo valor recebido).
  • Crédito: Terrenos (pelo valor contabilístico do terreno).
  • Débito ou crédito: Lucros ou perdas extraordinárias (pela diferença entre o valor contabilístico e o preço de venda).
  • Custos de reestruturação: Se a empresa incorre em custos associados à reestruturação das suas atividades.
  • Débito: Despesas Extraordinárias (no valor do custo).
  • Crédito: Fornecedores ou Bancos (para pagamento ou compromisso de pagamento).
  • Indemnizações: Se a empresa tiver de pagar indemnizações excecionais, por exemplo, a um executivo na rescisão do seu contrato.
  • Débito: Despesas Extraordinárias (pelo valor da indemnização).
  • Crédito: Fornecedores ou Bancos.

Estes lançamentos permitem separar as transações ordinárias das extraordinárias, o que facilita a análise da atividade principal da empresa. Nas demonstrações financeiras, as rubricas extraordinárias são muitas vezes apresentadas separadamente para que os utilizadores possam distinguir claramente os resultados decorrentes da atividade normal dos resultados decorrentes de acontecimentos ou transações não usuais.

Os lançamentos contabilísticos são uma ferramenta essencial na contabilidade, pois permitem o registo sistemático e detalhado de todas as transações e operações financeiras que ocorrem numa empresa. Estes registos, baseados no sistema de partidas dobradas, garantem que as atividades económicas da entidade estão devidamente representadas, refletindo com rigor a realidade financeira e patrimonial do negócio. É fundamental que os profissionais responsáveis pela manutenção destes registos tenham um conhecimento profundo dos princípios e normas contabilísticas, de forma a garantir rigor e transparência na apresentação da informação.

No ambiente contemporâneo, onde a eficiência e o rigor são fundamentais, as soluções tecnológicas desempenham um papel crucial na gestão contabilística das empresas. Ferramentas como a Tickelia surgem como soluções inovadoras que não só simplificam como também otimizam o processo contabilístico. Ao digitalizar e automatizar tarefas como a liquidação, a contabilidade, o controlo orçamental e outras, as empresas podem reduzir os erros, poupar tempo e assegurar um fluxo de trabalho mais fluido.

A capacidade da Tickelia de associar automaticamente as despesas digitalizadas às transações com cartões e de efetuar ajustamentos cambiais entre moedas é a prova da revolução que a tecnologia trouxe ao mundo da contabilidade. Além disso, ao implementar tecnologia OCR de ponta, garante que a informação é captada com exatidão, minimizando as inconsistências e melhorando a verificação e validação dos dados.

Em suma, embora os lançamentos contabilísticos continuem a ser a base da contabilidade, ferramentas como a Tickelia são indicativas do futuro da gestão contabilística: um futuro mais automatizado, preciso e eficiente. A adoção destas soluções não é apenas uma opção, mas uma necessidade para as empresas que pretendem manter-se competitivas no mercado atual.

Automatize a gestão de despesas e viagens de empresa com Tickelia

Descobre outros blogs da Tickelia

Tag
Compartilhar
Raquel Ibañez
Chefe do Departamento de Marketing da Inology. Licenciado em jornalismo pela Universitat de Vic.
  • Os posts mais lidos de Contabilidade e Fiscalidade
  • Redes sociais
    Artigos Mais Recentes
    Newsletter
    Os artigos mais
    lidos do Blog
    Demonstração

      Ver condições

      Artigos relacionados

      De acordo com o Código das Sociedades Comerciais, todas as empresas são obrigadas a manter um registo das suas operações económicas e, portanto, a manter

      ...

      Na complexa teia do sistema fiscal e tributário, o termo contribuinte destaca-se como um dos pilares fundamentais. Mas quem são de facto os contribuintes e

      ...

      O número de conta bancária e o IBAN são dois conceitos semelhantes de grande importância no mundo financeiro. Mas qual é a diferença entre o

      ...

      Solicite uma demonstração

        Obtenha o Guia preenchendo este formulario


          Descarregue o nosso Guia para digitalizar as despesas empresariais!

          Descubra como automatizar o processo de gestão de despesas e os seus benefícios com o nosso Guia completamente gratuito.