10 termos que todos os controladores financeiros devem conhecer

O controller financeiro, líder na gestão financeira das empresas, desempenha um papel crucial desde a contabilidade à estratégia. Vamos explorar a evolução deste perfil profissional e apresentar-lhe os 10 termos essenciais que qualquer controller deve conhecer para tomar decisões informadas e estratégicas.

1. O que é um controlador financeiro?

Um controlador financeiro, também conhecido como controller financeiro ou auditor financeiro, é o profissional responsável pela supervisão e gestão da função financeira numa empresa ou organização. O seu papel é crucial para manter o controlo financeiro, fornecer informações precisas e atempadas para a tomada de decisões e garantir o cumprimento dos regulamentos e políticas internas. É importante diferenciar o papel do controller do papel do diretor financeiro. No entanto, nas empresas mais pequenas, é comum que a mesma pessoa desempenhe as duas funções ao mesmo tempo.

As responsabilidades do controlador financeiro podem variar de acordo com a dimensão e a estrutura da empresa, mas geralmente incluem o seguinte:

  • Supervisão contabilística: O controlador financeiro supervisiona o processo de registo e comunicação das transacções financeiras. Assegura-se de que os registos são exactos, actualizados e cumprem os princípios e regulamentos contabilísticos.
  • Relatórios financeiros: O auditor financeiro é responsável pela produção e apresentação de relatórios financeiros, tais como declarações de rendimentos, balanços e fluxos de caixa. Estes relatórios fornecem uma visão clara da situação financeira da empresa e são utilizados pelos quadros superiores e pelos investidores.
  • Análise financeira: Efectua uma análise detalhada das demonstrações financeiras para avaliar o desempenho da empresa e a eficácia das suas operações. Identifica tendências, oportunidades e riscos financeiros e apresenta recomendações para a tomada de decisões.
  • Elaboração de orçamentos e planeamento financeiro: Participa na preparação e no acompanhamento dos orçamentos financeiros. Colabora com diferentes departamentos para definir objectivos financeiros realistas e controlar as despesas em relação às receitas previstas.
  • Controlo interno: Estabelece e acompanha os procedimentos de controlo interno para garantir a integridade das informações financeiras e evitar fraudes e erros. Assegura igualmente que a empresa cumpre os regulamentos e as normas contabilísticas e fiscais.
  • Gestão de custos: O controlador financeiro ajuda na identificação e análise dos custos de produção e de funcionamento. Ajuda a empresa a controlar e a otimizar as suas despesas para melhorar a eficiência e a rentabilidade.
  • Colaboração com a gestão de topo: Trabalha em estreita colaboração com os executivos e gestores da empresa para fornecer informações financeiras relevantes para apoiar a tomada de decisões estratégicas e operacionais.
  • Planeamento financeiro a longo prazo: Contribui para o planeamento a longo prazo, incluindo a avaliação de investimentos, fusões e aquisições, e a identificação de oportunidades de crescimento e expansão.
  Política de despesas das empresas: porquê são importantes

Em resumo, o controlador financeiro é um profissional-chave na gestão financeira de uma empresa. O seu papel vai desde a supervisão contabilística e a elaboração de relatórios até à análise financeira e ao planeamento estratégico, desempenhando um papel vital na tomada de decisões empresariais com base em dados financeiros sólidos.

2. Evolução do controlador financeiro

A evolução do perfil do auditor financeiro tem sido notável ao longo do tempo, acompanhando as mudanças na economia, na tecnologia e na gestão empresarial.

Nas décadas de 1950 e 1960, o controlador financeiro centrava-se principalmente na contabilidade e nos relatórios financeiros. O seu papel estava mais orientado para a recolha e apresentação de dados financeiros para a gestão de topo e para os accionistas.

Nas décadas de 1970 e 1980, à medida que as empresas cresciam em dimensão e complexidade, o papel do controlador financeiro começou a expandir-se. Para além da elaboração de relatórios, os controladores passaram a estar envolvidos no planeamento financeiro e na análise de custos. Tornaram-se mais activos na tomada de decisões estratégicas.

Mais tarde, com o aparecimento das tecnologias da informação e a automatização dos processos contabilísticos, o controlador financeiro adoptou uma abordagem mais analítica e estratégica. Os relatórios financeiros tornaram-se mais eficientes, permitindo que os controladores passassem mais tempo a analisar e a interpretar os dados.

Atualmente, o papel do auditor financeiro tornou-se ainda mais estratégico. A tecnologia avançada, como a análise de dados e a inteligência artificial, permitiu uma maior precisão na análise financeira e a capacidade de prever tendências com maior fiabilidade. Os controladores estão mais envolvidos no planeamento a longo prazo, na tomada de decisões estratégicas e na gestão do risco financeiro.

O controlador financeiro de hoje é um parceiro estratégico fundamental para a gestão de topo e outros líderes organizacionais. Para além das responsabilidades tradicionais de elaboração e análise de relatórios financeiros, está também envolvido no planeamento estratégico, na avaliação de investimentos, na identificação de oportunidades de crescimento e na gestão da eficiência operacional.

Em suma, o controlador financeiro evoluiu de um papel centrado na contabilidade e na elaboração de relatórios para um papel mais estratégico e analítico. A tecnologia tem sido um fator chave nesta evolução, permitindo uma maior eficiência dos processos e uma análise financeira mais profunda e precisa, conduzindo a um maior impacto na tomada de decisões empresariais.

controlador financeiro

3. 10 termos que todos os controladores financeiros devem conhecer

Estes 10 termos são fundamentais para a tomada de decisões estratégicas de um controlador financeiro, permitindo-lhe avaliar a saúde financeira da empresa, identificar oportunidades de melhoria e tomar decisões informadas que afectam o sucesso e o crescimento da organização.

3.1 Análise de desvios

A análise de variações envolve a revisão e a comparação dos resultados financeiros reais com as projecções orçamentais ou os resultados históricos. O objetivo é identificar variações significativas e compreender as razões subjacentes a essas diferenças. Isto permite aos controladores identificar áreas problemáticas e tomar medidas correctivas para otimizar o desempenho financeiro.

  Plano financeiro: um guia completo para o sucesso financeiro empresarial

3.2 Margem de contribuição

A margem de contribuição é a diferença entre as receitas totais e os custos variáveis diretamente relacionados com a produção ou venda de bens e serviços. É uma medida fundamental para avaliar a rendibilidade de cada unidade vendida e para determinar a quantidade de fundos disponíveis para cobrir os custos fixos e gerar lucros.

3.3 Tesouraria líquida

A tesouraria líquida é o saldo de tesouraria disponível após a dedução de todas as saídas de tesouraria, incluindo as despesas de exploração, os pagamentos de dívidas e outras saídas financeiras. Representa a liquidez efectiva da empresa e a sua capacidade para cumprir as suas obrigações financeiras.

3.4 Fluxo de caixa livre

O fluxo de tesouraria livre é o dinheiro gerado pelas operações da empresa após dedução das despesas de exploração e das despesas de capital necessárias para manter e expandir a atividade. É um indicador crucial da saúde financeira de uma empresa e da sua capacidade para reinvestir em si própria ou distribuir dividendos aos accionistas.

3.5 ROI (Retorno do investimento)

O ROI é uma métrica que avalia a rendibilidade de um investimento em relação ao seu custo. É calculado dividindo o lucro líquido gerado pelo investimento pelo custo inicial do investimento e é expresso em percentagem. O ROI ajuda os controladores a avaliar a eficácia de diferentes investimentos e a tomar decisões informadas.

3.6 EBITDA (Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization)

O EBITDA é um indicador financeiro que mede a capacidade de uma empresa gerar resultados operacionais antes de considerar os efeitos dos juros, impostos, depreciação e amortização. É útil para avaliar o desempenho operacional puro e comparar a rentabilidade entre diferentes empresas e sectores.

3.7 Rácios de liquidez

Os rácios de liquidez, tais como o rácio de liquidez rápida e o rácio de teste ácido, avaliam a capacidade de uma empresa para cumprir as suas obrigações a curto prazo utilizando os seus activos líquidos. Estes rácios ajudam os controladores a avaliar a saúde financeira da empresa e a sua capacidade de fazer face a situações imprevistas de fluxo de caixa.

  Recibo e Fatura: o que são e para que servem?

3.8 Orçamento de capital

O orçamento de capital é um plano financeiro que detalha as despesas de investimento a longo prazo que uma empresa planeia fazer para adquirir ou melhorar activos fixos, tais como equipamento ou propriedade. Os controladores desempenham um papel crucial na avaliação das propostas de investimento, determinando quais os projectos mais viáveis e que geram os maiores retornos.

3.9 Rendibilidade do capital próprio (ROE)

O ROE é uma medida do retorno gerado pelo investimento dos accionistas na empresa. É calculado dividindo o lucro líquido pelo capital próprio e é expresso em percentagem. O ROE mostra o valor que está a ser gerado para os accionistas em relação ao seu investimento.

3.10 Custo do capital

O custo de capital é o rendimento mínimo que uma empresa deve obter para justificar o investimento de capital em novos projectos. Combina o custo da dívida e o custo do capital próprio ponderados pelas respectivas proporções na estrutura de capital da empresa. Esta medida ajuda a avaliar a viabilidade financeira dos projectos e das decisões de investimento.

4. Ferramentas úteis para o controlador financeiro

Num panorama financeiro cada vez mais complexo e dinâmico, a automatização das despesas revela-se uma ajuda essencial para qualquer controlador financeiro. A utilização de soluções como o Tickelia facilita muito a tarefa de gestão de despesas numa empresa, revolucionando a forma como as despesas são processadas e registadas, eliminando o trabalho manual e o erro humano. Com o Tickelia, o controlador financeiro tem uma visão em tempo real dos gastos dos funcionários e consegue produzir relatórios detalhados, muito úteis para analisar a saúde financeira da empresa.

Outra das principais vantagens do Tickelia reside na capacidade de recuperar o IVA das despesas efectuadas, optimizando a restituição deste imposto à empresa através da obtenção de facturas para a maioria dos recibos de despesas. O Tickelia elimina a necessidade de manusear recibos e facturas em papel, o que permite poupar tempo em tarefas burocráticas repetitivas, como o registo manual de despesas. O controlador pode utilizar esse tempo para se concentrar numa análise profunda e estratégica, transformando os dados em decisões informadas.

Em termos de contabilidade, a solução integra-se com qualquer sistema ERP, CRM e software de processamento de salários, proporcionando uma solução holística. Além disso, a plataforma oferece uma visualização gráfica e automatizada do estado do orçamento, permitindo que o controlador financeiro e a sua equipa se concentrem na análise profunda dos dados, na deteção de tendências e na avaliação precisa dos ajustamentos de custos em diferentes áreas da organização.

Peça já a sua demonstração e veja como o Tickelia pode ajudar a melhorar o seu negócio.

Demonstraçao Tickelia

Descobre outros blogs da Tickelia

Tag
Compartilhar
Laura Sierra
Redactora de conteúdos na Inology. Licenciada em Comunicação Social e Jornalismo pela Universidad de La Sabana.
  • Os posts mais lidos de Glossário
  • Redes sociais
    Artigos Mais Recentes
    Newsletter
    Os artigos mais
    lidos do Blog
    Demonstração

      Ver condições

      Artigos relacionados

      Todos os empresários devem estar cientes de uma coisa: vender e ganhar dinheiro são duas coisas muito diferentes. Por outras palavras, o volume de negócios

      ...

      As empresas têm necessidade de apresentar demonstrações e processos contabilísticos financeiros às suas partes interessadas, tais como investidores, credores, clientes e governos. Uma auditoria às

      ...

      Se vive neste mundo, é provável que já tenha utilizado o CVV mais do que uma vez, embora possa não estar totalmente ciente disso. CVV

      ...

      Solicite uma demonstração

        Obtenha o Guia preenchendo este formulario


          Descarregue o nosso Guia para digitalizar as despesas empresariais!

          Descubra como automatizar o processo de gestão de despesas e os seus benefícios com o nosso Guia completamente gratuito.